Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

16
Mar17

Experiência espiritual - 16/03/2017

Vida de sonho

Estou numa fase curiosa. Somar dias de vigilância do ego muda-nos. Pouco a pouco identificamos de forma mais clara os pensamentos e sentimentos típicos do ego, o que nos permite criar distância (logo, reconhecer que "não sou eu") e ajustar as nossas ações.

Isto também origina alguma turbulência interior. Ontem pensava na minha situação profissional. Quando considero alternativas, algo em mim as bloqueia. Bom, aqui parece claramente ação do ego, com os seus medos, identificações e preferência pela zona de conforto. No entanto, também não sinto em mim outras reações intuitivas de entusiasmo ou estímulo. E as coisas sempre foram assim. Sempre, sempre, sempre...

Conclusão? A minha conclusão é que não está na hora de mudanças. O meu caminho é a espiritualidade, o meu dharma é "seguir o Tao e apenas o Tao" - verso 21 Tao Te Ching. O meu percurso histórico, a introspeção, a reflexão, a ausência de desejos intensos, a atração pelo budismo, pela modéstia, pela humildade, pelo ascetismo, tudo aponta para uma orientação interior virada para o espírito e não para o mundo material. É o que tem que ser feito.

15
Mar17

Experiência espiritual - 15/03/2017

Vida de sonho

Nos minutos finais do filme The Shift, de Wayne Dyer, o próprio diz uma frase atribuída a Jesus Cristo:

"Se quiseres ser como eu, sabendo que somos iguais, eu ajudo-te. Se não quiseres, eu espero, até que mudes de ideias. E vais mudar de ideias".

O enquadramento está relacionado com nos libertarmos do ego, sabendo que somos seres espirituais, ligados a Deus/Tao/Consciência, enquanto origem deste mundo material. Dia após dia, exemplo após exemplo, situação após situação, deparo-me com algo que para mim é evidente: a maioria dos seres humanos, guiados pela sua mente, não é feliz, não tem paz interior, não está bem. Nos casos mais próximos de mim fico com a fortíssima impressão de que é uma vida baseada no ego que leva a isso. E voltamos às armadilha do ego. A principal é a necessidade de impor as suas ideias, vontades, etc...; depois é o seu egocentrismo, já que tudo o que acontece é avaliado à sua medida e em que medida tem impacto em si, como se fosse o centro do mundo e tudo acontecesse por sua causa; sente-se atacado quando se depara com um opinião diferente; finalmente, a lista infindável de desejos que se sucedem, em que a realização de um é apenas a porta de entrada para o seguinte. Não vamos esquecer da sua insegurança estrutural, dada a ausência de uma base sólida na sua existência.

Sim, irmos para além do ego é o caminho. Percebermos que somos uma minúscula parte do universo, tão importante como uma planta, um peixe ou uma nuvem, é o caminho para contactarmos com a nossa essência, onde reside a paz e de onde irradia amor.

Por vezes, a vida apresenta-nos circunstâncias que nos levam nesse caminho; por vezes não, só nos momentos finais aparece essa constatação. Mas quando quisermos mudar a ajuda aparece, basta estarmos recetivos.

14
Mar17

Daily journal - 14/03/2017

Vida de sonho

A escrita de um diário tem um objetivo bem definido. Quando escrevemos, organizamos e revisitamos os nossos pensamentos e as nossas emoções. Isto faz com que estejamos conscientes do que somos, do que queremos e do que pensamos. Mas também tem um efeito de reforço. Ao repetirmos ideias ou projetos estamos a reforçar a sua importância para o nosso subsconsciente, assim, é uma forma de colocar a nossa natureza automática a trabalhar para os nossos objetivos ou para a nossa visão. É uma das ferramentas do desenvolvimento pessoal, em especial da lei da atração.

Tem também um lado catártico, quando temos energia associada a emoções e/ou pensamentos "presa" em nós, sem a conseguirmos libertar. Passar a escrito pode ter esse efeito de descarregar essa energia, aliviando a carga que carregamos aos nossos ombros.

Há, na verdade, várias vantagens na escrita de um diário. Haja consistência...

13
Mar17

Daily journal - 13/03/2017

Vida de sonho

Mais um fim de semana em família, com as atividades habituais, sempre agradáveis. Já a semana começou turbulenta.

As ideias à volta do ego não me largam. À medida que refletimos sobre a falsidade do ego, a forma como foi moldado pelo ambiente onde nascemos, a forma como nós próprios o contruímos a partir de um período mais maduro, mais nos aproximamos da nossa essência. Quando estas ideias se fortificam, a nossa visão do mundo e da vida mudam drasticamente.

Outra consequência foi a forma como vejo o amor. O amor vem do Tao e o Tao, enquanto origem de tudo, dá e permite. E o que vivemos nos nossos dias, o que a maioria das pessoas entendem como amor vem do ego. Do ego não pode vir amor. Do ego pode vir uma atração por alguém que o faz sentir bem ou que corresponde a um perfil que a certa altura era o que procurava. Nestas circunstâncias, ama-se uma pessoa que satisfaz o ego. Amor é sobre dar, sobre fazer a outra pessoa feliz, por aquela pessoa vamos além do ego e permitimos que o amor do Tao se manifeste através do nosso corpo e da nossa mente. Poucas pessoas sentem esse amor e menos ainda o sentem de forma consciente. A não ser na paternidade, aí muitas pessoas sentem este amor de colocar as necessidades dos filhos em primeiro lugar e sacrificar a sua felicidade egóica por eles.

10
Mar17

Daily journal - 10/03/2017

Vida de sonho

E arrancou mesmo. A escrita arrancou ontem, com um esboço da introdução. Nos trabalhos académicos, a introdução e a conclusão ficam para o final, mas neste caso, em que a visão está estruturada, não foi difícil. Pelo contrário, até ajuda, porque faz uma espécie de enquadramento geral que facilita o trabalho que se segue.

Hoje é dia de fechar a semana, com alguns temas para concluir e poder enfrentar o fim de semana de forma descontraída. Por agora, hora de arregaçar as mangas e por a mão na massa.

09
Mar17

Daily journal - 09/03/2017

Vida de sonho

Hoje poderá ser um dia muito importante. Vou arrancar com a escrita do relato das mudanças ocorridas nos últimos anos. É uma necessidade que sinto. Por um lado, ajuda a sistematizar um período com evoluções importantes; por outro, até pode ser útil para outras pessoas.

Não sei muito bem quando vou escrever, mas depois de começar logo se verá o que a dinâmica do processo me reserva. Tudo pode acontecer, para já estruturar por alto o relato, depois, começar a tratar do conteúdo. Sim, faz sentido avançar com isto. Vamos a ele!

08
Mar17

Daily journal - 08/03/2017

Vida de sonho

Hoje vou tomar um café com um familiar para falar sobre a vida. A certa altura da sua vida, as pessoas não se sentem bem e precisam de mudar. O problema é que a organização social não está direcionada para isso. A sociedade está desenhada para a continuidade, para manter o status quo. Quem não se enquadrar no status quo pode passar momentos difíceis, especialmente se não tiver convicção interior para seguir o seu próprio caminho e for muito sensível às reações exteriores (família, amigos, colegas de escola ou trabalho, etc...). Vivemos, então, períodos em que desempenhamos o nosso papel, mas sem bem estar interior, numa luta permanente.

Dado o tempo que investi na área do desevolvimento pessoal, tento passar alguns conceitos que possam ser úteis e adequados às necessidades que a própria pessoa exprime. Após alguns encontros, a necessidade de organizar ideias e práticas, bem como resumir o meu próprio percurso está a ganhar peso nas minhas ideias. Ontem, fiz umas notas numa folha de caderno sobre as 3 fases que passei nestes últimos tempos e foi muito interessante. Quando temos conversas que navegam ao sabor das ondas, corremos o risco de termos um conjunto de ideias dispersas e desconectadas. É importante termos ideias claras e organizadas para a nossa mente se conseguir orientar. Seguir o flow da vida é para o espírito, não para a mente egóica.

07
Mar17

Experiência espiritual - 07/03/2017

Vida de sonho

Ontem, o peso da espiritualidade foi reforçado. Tenho ouvido o filme The Shift de Wayne Dyer em fundo e sinto o meu interior a dar sinais de vida. Estou atento a esses sinais, que ecoam com particular intensidade quando a conversa foca na espiritualidade.

Começo a aceitar isso, o que é bastante difícil para o ego, porque o meu interior está em paz. O caminho do autoconhecimento levou-me a algo muito natural: o vazio. Quando procuramos o autoconhecimento para determinar o nosso destino, a nossa missão na vida, o que fazemos aqui, saber quem somos, de onde vimos, para onde vamos, admito que esperamos uma resposta. Eu só "recebi" o vazio e uma vibração aos temas da espiritualidade, meditação, modéstia, humildade, etc... Não há que enganar, o caminho é despir-me do ego e entregar-me ao espírito. Só é difícil começar, porque rapidamente nos apercebemos do carácter artificial do ego, da forma como o podemos modelar, construir, ajustar de acordo com os objetivos que quisermos traçar. Libertarmo-nos dele é que é muito difícil, porque tem uma espécie de existência própria e dará luta, mas tenho tempo e paciência. Não quero lutas interiores, apenas o quero vigiar e distinguir o que essência do que é ego. O tempo, o meu melhor aliado, fará o resto.

06
Mar17

Experiência espiritual - 06/03/2017

Vida de sonho

Uma das ideias mais fortes nesta altura é da artificialidade do ego. Não nascemos com um ego. Nasce um ser vivo, que ao longo do tempo aprende como se comportar no mundo, de acordo com as regras sociais do local onde nasceu. Constrói uma personalidade aparente, quando desenvolve o seu espírito crítico e se identifica de forma mais intensa com determinados comportamentos ou ideias. A partir daí, a sua mente reaje de forma automática: perante o acontecimento x apresenta a reação y. E o que significa isto?

Bem, significa que andamos todos iludidos, suportamos a nossa existência numa personalidade volátil, frágil, sem grandes alicerces, portanto, insegura. Por outro lado, há imenso potencial. A nossa personalidade pode ser moldada, não estamos prisioneiros da nossa situação atual. Podemos condicionar a nossa mente para atuar da forma que quisermos, tal como um programador pode criar um software para um computador efetuar procedimentos específicos. Sim, tudo é possível, tenhamos coragem e frontalidade para reconhecer o que aqui foi escrito e as possibilidades são ilimitadas.

Difícil é decidir o caminho a seguir, mas só aparentemente. Se despirmos o ego e confiarmos no nosso gps interno, tudo seguirá o seu caminho.

03
Mar17

Daily journal - 03/03/2017

Vida de sonho

Ontem foi um dia muito bom. Muito contacto com o Tao, através do trabalho de Wayne Dyer, objetivos do dia cumpridos e terminei a segunda leitura do livro "O Poder do Agora" de Eckhart Tolle. Não é frequente isto acontecer, portanto, não vamos deixar de saborear.

E o que se segue? Bem, vou iniciar a preparação para nova fase do meu curso de vinhos, portanto, neste mês de março, a leitura será vínica.

Outro aspeto que ganhou novos contornos é a alimentação. Em 2014 avancei de forma decisiva para um ponto importante para mim: alimentação saudável. As evolução e aprendizagem levam a um novo passo em 2017: low carb, com inspiração paleo. Pertencente a uma família de diabéticos, este tema tem que ser sensível para mim e açúcar e hidratos de carbono são pontos a estar com atenção máxima. Assim, após recolha de alguma informação, decidi fazer mais um ajuste, que representa, espero eu, mais um passo em frente. É simplesmente reduzir a quantidade de hidratos ingerida, por substituição de vegetais, legumes, raízes e gorduras saudáveis. As proteínas são essencias, mas consumidas de forma ponderada. Significa isto que pão, arroz, batatas, bolachas e afins, estão em racionamento; enquanto que frutos secos, azeitonas, azeite, abacate, alface, cenoura, beterraba, etc... em reforço.

Acaba por juntar o útil ao agradável. Tem um efeito preventivo face à diabetes, mas também espero impacto positivo na área do fitness, com contributo para secar a gordura corporal e ficar com maior definição muscular. A ver vamos. Estou a tentar não ter pressa, gerir expetativas e dar tempo ao tempo. Afinal, foi uma das coisas que aprendi nos últimos anos: o tempo é nosso aliado, basta que nos coloquemos no caminho certo, com o mínimo de desvios possível, que o tempo leva-nos ao nosso destino.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D