Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

10
Jan18

Significado na vida e dor

Vida de sonho

Horas mentais agitadas. Agitação em casa, agitação no trabalho, mente em grande atividade. Noto isso no exercício matinal. Nos minutos seguintes ao final da rotina, o grau de foco no momento de gratidão mostra a agitação da mente. Quando outros pensamentos interferem é sinal de agitação acima da média. Mas, como tudo, é temporário.

Quando aprofundamos os conhecimentos místicos e filosóficos, a nossa visão da vida muda. Percebemos que há uma realidade mais profunda que este mundo material que nos rodeia (mundo aparente); percebemos que estamos envolvidos num ciclo imparável de movimento, uma sucessão de horas, dias, semanas, anos, independentes da nossa vontade; percebemos que não há um motivo para a nossa existência, ela simplesmente aconteceu; percebemos que estamos presos a um corpo limitativo, identificados com uma mente que não pára um segundo, mas pior do que isso, apresenta-nos pensamentos e sentimentos algo aleatórios (embora alinhados com a vibração do ego). Estas ideias tornam-se algo perigosas, porque, de repente, percebemos que não estamos aqui a fazer nada a não ser existir.

Existir é maravilhoso e um milagre. O que temos que resolver é a vida que o nosso ego construiu, com trabalho, família, relações, etc... Essa vida implica coisas para fazer todos os dias: horas para levantar, tratar da higiene, vestir, alimentar o corpo, assegurar tarefas familiares, sair para o trabalho, etc... A rotina tão recheada que conhecemos. E a verdade é que quanto mais acrescentamos à nossa vida mais coisas temos que fazer, mais nos afastamos da existência.

Torna-se, então, crítico, ligar significado ao que fazemos. Sem esse significado, sem um sentido de identidade associado à vida que construímos, entramos num ciclo em que as atividades diárias são um ciclo sem fim de obrigações, um peso na nossa vida, que acabam por originar dor interior e infelicidade. Pior, a mente acaba por se programar para associar dor a essas atividades e ficamos presos nesse mindset negativo.

O caminho mais óbvio é simplificar, focar a nossa existência em aspetos realmente importantes para nós e não ocuparmos em atividades sem significado. Isso leva a dor.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D