Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

15
Dez16

Experiência espiritual - 15/12/2016

Vida de sonho

A aventura espiritual continua e adensa-se. À medida que a busca se desenvolve, a experiência de que a nossa essência é espírito fica mais clara.

Quer nos momentos de meditação, quer em reflexão, percebemos que quanto mais fundo mergulharmos no nosso interior, mais aspetos do que pensávamos ser a nossa identidade limpamos. Mesmo a última barreira, a mente, é limpa. Basta considerar 2 pontos. Se pararmos toda a atividade da mente continuamos a existir, logo, não somos a mente, não é a nossa essência. A atividade da mente mostra-se a nós sob uma forma observável: sentimentos, pensamentos, emoções, etc... Se ignorarmos uma manifestação da mente nada nos acontece, continuamos a existir, portanto, não somos a mente.

Fascinante, revelador e verdadeiramente revolucionário na forma de olharmos a nossa vida.

 

29
Nov16

Experiência espiritual - 29/11/2016

Vida de sonho

Ontem foi um dia magnífico para o lado espiritual. Mais um excelente vídeo sobre Vedanta no Youtube, mais umas boas páginas do livro I Am That (Nisargadatta Maharaj) lidas e mais espaço criado entre essência e ego.

O parágrafo anterior é muito significativo, porque representa passos em frente importantes. O trabalho mental é o mais difícil, porque estamos totalmente identificados com o que se passa na nossa cabeça. Qualquer evolução que crie distância, afastamento dos pensamentos, sentimentos, emoções, é importante.

Começo também a sentir a mente mais calma nos meus parcos minutos de meditação. Parece que começa a perceber que aquele momento é de descanso, de paragem. É um senhor desafio, mas nada como o tempo, a consistência e a preseverança para que a evolução aconteça.

23
Nov16

Daily journal - 23/11/2016

Vida de sonho

Depois de uns dias intensos, ontem representou o regresso à rotina: exercício matinal, preparativos, dia de trabalho e responsabilidades familiares a fechar. O mais curioso foi sentir como os dias anteriores reforçaram a identificação com o ego. A necessidade de focar na matéria, absorver a informação e trabalhar as provas contribuiu para isso.

Ontem, no entanto, tive a ajuda do monges de Vedanta americanos, já que mais 2 vídeos foram disponibilizados para visualização. O mergulho na profundidade desses ensinamentos recentrou-me no percurso e na mindset espirituais em curso.

Agora, há que aproveitar uma semana com agenda mais livre na área profissional para tratar de temas mais profundos, com maior necessidade de intervenção do intelecto.

11
Nov16

Experiência Espiritual - 11/11/2016

Vida de sonho

Algumas ideias começam a ficar mais claras na minha mente.

A distinção observador/observado como conceito primordial para percebermos que não somos o corpo, nem a mente. Se olhamos para o computador, nós somos o observador (sujeito) e o computador o observado (objeto). É intuitivo que o observador é diferente do objeto observado. Assim, nós conseguimos observar o corpo (ver, sentir, cheirar, etc...), pelo que o corpo apresenta-se como um objeto da nossa observação. Se é um objeto, nós não somos o corpo.

O mesmo se passa com a mente. Na nossa mente aparecem pensamentos, sentimentos, memórias, informações recolhidas pelos sentidos, e nós tomamos consciência disso. Se estou a pensar em espiritualidade, observo o pensamento sobre espiritualidade, mas não sou o pensamento sobre espiritualidade. O pensamento e a restante a atividade da mente apresentam-se como objetos para a minha perceção. A minha essência (consciência) é o sujeito desta observação. Agora, consigo observar a minha consciência? Pode a consciência ser um objeto de observação? Não. Pois bem, é exatamente o que somos na nossa mais pura essência.

Os místicos e iluminados (como Buda ou Cristo) transmitem experiências de que a nossa consciência não é individual, não é separada do resto. Dizem-nos que há uma única consciência e a nossa essência é essa consciência. Quem se encontra nesse estado de iluminação experiencia a partir dessa consciência universal. Se a nossa perceção de ser está limitada ao nosso corpo e à nossa mente, estas pessoas sentem que são tudo o que existe. Sentem que são as outras pessoas, os objetos e todos os componentes da natureza.

Isto pede uma conclusão, mas fica em aberto, porque para mim é um tema completamente em aberto...

03
Nov16

Experiência Espiritual - 02/11/2016

Vida de sonho

Hoje a rotina matinal atrasou. Resultado: menos tempo para escrever.

Ontem ouvi mais um vídeo de Vendanta e fez-me muito bem. O contacto com as filosofias orientais e a sua visão espiritual é algo muito positivo para mim. Quer esta vertente do Hinduismo, quer o Tao Te Ching representaram um enorme passo em frente na minha vida espiritual. Sinto-me perfeitamente enquadrado e, mais do que tudo, aquela vibração interior que me diz ser o caminho certo. Longo, lento, incerto, imprevisível, mas certo.

07
Out16

Experiência Espiritual - 07/10/2016

Vida de sonho

Este aprofundar da espiritualidade abre novas perspetivas quase todos os dias. Atualmente, estou a ler o livro "I Am That", conversas com Sri Nisargadatta Maharaj, um homem que Despertou.

O dia de hoje iniciou com uma reflexão sobre a impossibilidade de observarmos o Ser (observar no sentido lato, experienciar). O Ser é o observador, logo, não pode ser observado. O observador será sempre diferente do observado. A ser assim, quando procuramos a nossa essência um dos caminhos mais aconselhados é identificar o que não somos. Quando tal acontecer, apenas sobrará o que verdadeiramente somos: o observador, a consciência...

Por outro lado, se o Ser não pode ser experienciado, não pode ser descrito: não tem forma, não está sujeito ao tempo nem ao espaço. Simplesmente é, simplesmente sou.

Partindo deste princípio, tudo o que identificamos como objeto de experiência é excluído do que somos. O mundo que nos rodeia, o nosso corpo, a nossa mente, o nosso ego (o nossos sentimentos, os nossos pensamentos, a nossa auto imagem), etc... Que longo caminho a percorrer.

22
Jul16

Algumas impressões sobre Vedanta

Vida de sonho

Encontrei alguns vídeos introdutórios sobre Vedanta no incontornável You Tube. Após algum trabalho na parte espiritual, estava preparado para saber um pouco mais sobre a filosofia dos Vedas.

Os Vedas são os textos sagrados Hindus e a Vedanta aprofunda a parte filosófica desses textos. Há várias escolas de Vedanta, a que acompanhei é a não dual. Esta corrente diz-nos que Brama está presente em tudo, mais, é a essência de tudo, dado ser a força criadora do universo.

Assim, o trabalho espiritual que leva à iluminação passa por sentir de forma consciente que somos um com tudo o que existe. Através da meditação exploramos o nosso interior e distinguimos corpo, mente e consciência. Essa consciência é Brama em nós. O iluminado sente essa consciência, vive essa consciência, não se limita ao ego que construiu desde o nascimento.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D