Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

19
Mai17

Daily journal - 19/05/2017

Vida de sonho

Ontem foi divulgada uma notícia triste: morreu Chris Cornell, ex-vocalista dos Soundgarden (entre outras bandas). Hoje, li que o relatório médico aponta como causa da morte suicídio por enforcamento.

O que levará alguém sem uma doença física grave a suicidar-se? Sem dúvida, um nível de sofrimento tal que só tirar a própria vida nos poderia libertar. Não sou psicólogo, mas consigo imaginar que em determinado ponto uma pessoa em sofrimento começa a pensar em suicídio. Pensa uma vez ou outra, mas com a continuação do sofrimento a frequência do pensamento ocorre. Passam dias, meses, anos e continua a alimentar essa ideia, ou seja, associa energia e/ou carga emocional reforçada a essa ideia. Pela constante repetição, acaba implantada no subconsciente e ganha vida própria. Já não necessita fazer um esforço para alimentar essa ideia, essa pessoa já criou uma auto imagem de suicida. Até à concretização apenas falta um trigger. Esta descrição é um dos possíveis processos que leva ao suicídio, alimentado em segredo na profundeza da nossa mente, em recantos que apenas o próprio conhece e que a partir de certa altura tem "vida própria". Exteriormente, tudo parece estar bem, mas este mundo interior só o próprio conhece.

A certa altura, perde-se o contacto com o valor da vida. Perde-se a noção do privilégio que é ter esta experiência extraordinária. No meio de um universo infinito para a capacidade de compreensão da nossa mente, de um mundo que existe há milhões de anos, é-nos dada a possibilidade de experienciar a criação por breves instantes (o que são 100 anos no meio disto?). Com dor e sofrimento, mas também com amor, alegria e deslumbramento. Faz parte das regras. Esta experiência é finita e implica coisas boas e coisas más. Só conhecendo o mau sabemos o que é bom, é a dualidade inevitável do mundo da matéria. É por isso que a gratidão é tão importante; é por isso que olhar para o copo meio cheio é fundamental. Se tal não acontecer, a nossa mente insegura e sempre receosa vai fazer com que os 0,5% do copo vazio ofusquem os 99,5% do copo cheio. Gratidão e aceitação são os verdadeiros pilares.

Numa perspetiva espiritual, não é possível tirar a própria vida, porque apenas o corpo morre. O espírito, que é vida, que é consciência, continua. Morre o corpo, desaparece o ego/personalidade (há quem acredite numa futura reencarnação), mas o espírito volta à origem, à fonte.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D