Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

21
Jun18

Paternidade e individualidade

Vida de sonho

Hoje, vai tornar-se realidade uma das decisões mais egoístas que tomei. É dia de festa final de ano na escola, seguida de um jantar convívio pais/alunos/professores. Vou ver a festa da criançada, mas o meu jantar será vínico com os meus compinchas (onde tenho, também, algumas responsabildiades).

É de esperar que os filhos sejam uma prioridade e portanto um bom pai iria ao jantar convívio da escola e sacrificaria o seu evento de lazer por uma questão de prioridades. Pois bem, tal não aconteceu.

Por um lado, entendo que é um exagero. A escola dinamiza a festa ao final da tarde, o que é muito engraçado. Os miúdos fazem representações, cantam e etc... Estimula a criatividade e o à vontade de fazer coisas em público. Depois, os pais "inventaram" um jantar convívio, dado ser o 4º ano. Mais trabalho, mais dinheiro gasto, enfim, na minha opinião complicar. Mas não censuro, se as pessoas têm tempo e dinheiro para isso, força. O ponto é que não sinto obrigação de participar.

Se houve algo que aprendi a certa altura da paternidade é que a nossa individualidade não pode desaparecer. Ter filhos implica assumir responsabilidades. Na base, garantir alimentação, teto, cuidados de saúde e vestuário. Depois, trabalhar a relação, amar, apoiar, acarinhar, proporcionar o melhor ambiente familiar possível. Depois, assegurar o lado social, educar e garantir formação académica. Para fazer bem isto não precisamos de dissolver a nossa existência no papel de pais. Por um lado, iríamos estar num desequilíbrio interior dificultador de um correto cumprimento desse papel; por outro, também devemos dar o exemplo de que os pais não existem apenas para tratar deles, os pais também têm uma existência individual.

O segredo do unverso é o equilíbrio e também no aspeto com maior carga emocional da vida humana (paternidade / maternidade) não deve faltar.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D