Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de Sonho

Todos os dias temos uma decisão a tomar: o que vou fazer com a minha vida? Por aqui registo reflexões sobre essa guerra.

Vida de Sonho

29
Nov16

Experiência espiritual - 29/11/2016

Vida de sonho

Ontem foi um dia magnífico para o lado espiritual. Mais um excelente vídeo sobre Vedanta no Youtube, mais umas boas páginas do livro I Am That (Nisargadatta Maharaj) lidas e mais espaço criado entre essência e ego.

O parágrafo anterior é muito significativo, porque representa passos em frente importantes. O trabalho mental é o mais difícil, porque estamos totalmente identificados com o que se passa na nossa cabeça. Qualquer evolução que crie distância, afastamento dos pensamentos, sentimentos, emoções, é importante.

Começo também a sentir a mente mais calma nos meus parcos minutos de meditação. Parece que começa a perceber que aquele momento é de descanso, de paragem. É um senhor desafio, mas nada como o tempo, a consistência e a preseverança para que a evolução aconteça.

18
Out16

Experiência Espiritual - 18/10/2016

Vida de sonho

A leitura de "I Am That", Conversas com Nisargadatta Maharaj vai a meio, mas o impacto está a ser imenso. O testemunho de alguém no estado de iluminação é algo muito potente, porque transmite a assência do tema, na sua simplicidade desarmante.

O título diz tudo: I Am. O caminho para a iluminação passa por pensarmos apenas no que é real e indiscutível: eu sou, eu existo. Todos nós sentimos vida, sentimos que existimos, que experienciamos o que se passa à nossa volta. O grande obstáculo é aceitarmos a separação do corpo e da mente. Identificamo-nos com o nosso corpo, mas ainda mais com a nossa mente. Identificamo-nos com o nosso ego, a personalidade que construimos ao longo do tempo, uma construção mental de integração social e interação com o mundo. Mas estamos identificados com algo que se altera, o corpo altera-se, renova-se; a personalidade evolui, muda. Em nós apenas a vida, a consciência, se mantém. Apenas isso é permanente. É justamente essa consciência que os professores da espiritualidade dizem ser a nossa essência, o nosso verdadeiro ser, ligado à origem do universo, divino.

Assim, o caminho para a iluminação será desligar de tudo o que é mortal, transitório, mutável e focar apenas no que é real, eterno, essência. Simples...

14
Out16

Experiência Espiritual - 14/10/2016

Vida de sonho

A leitura de Nisargadatta Maharaj é uma coleção diária de abanões mentais. Hoje reforçou uma ideia que já estava em crescimento.

O que o nosso ego entende como real, não é mais do que a sua interpretação da informação que os sentidos fazem chegar à mente; e a identidade ilusória é um conjunto de memórias de experiências fruto da identificação com o corpo.

Estas ideias representam um contraste imenso com a vivência do homem em sociedade, colocam-nos a pensar noutra perspetiva e contribuem para a nossa evolução. Claro que estamos perante alguém em estado de iluminação, ou seja, num ponto de evolução espiritual distante da maioria. Trata-se, portanto, de conceitos bastante difíceis de digerir facilmente.

11
Out16

Experiência Espiritual - 11/10/2016

Vida de sonho

Ainda estou a ler o livro de Nisargadatta Maharaj (I Am) e hoje uma das ideias foi marcante: A pessoa feliz procura felicidade? É por estarem num estado de dor que as pessoas procuram alívio nos prazeres.

É impressionante o poder e a profundidade destas palavras. A pessoa que é feliz (não a pessoa que está feliz) não precisa de mais nada, ela é tudo o que precisa. E a chave está no verbo ser. A pessoa é tudo o que precisa; e não a pessoa tem tudo o que precisa. Felicidade é um estado mental, um modo de estar na vida, portanto, tem origem no nosso interior, não no exterior.

OK, isso é muito bonito, mas como se consegue chegar a esse estado mental? Acredito que pelo autoconhecimento. Num primeiro nível, se conseguirmos alinhar as nossas ações pela nossa imagem (personalidade) existe um sentido de alinhamento que impulsionará o bem estar. Se aprofundarmos o processo, surgem diversos graus de liberdade que o elevam cada vez mais.

Uma ideia a reter e refletir.

07
Out16

Experiência Espiritual - 07/10/2016

Vida de sonho

Este aprofundar da espiritualidade abre novas perspetivas quase todos os dias. Atualmente, estou a ler o livro "I Am That", conversas com Sri Nisargadatta Maharaj, um homem que Despertou.

O dia de hoje iniciou com uma reflexão sobre a impossibilidade de observarmos o Ser (observar no sentido lato, experienciar). O Ser é o observador, logo, não pode ser observado. O observador será sempre diferente do observado. A ser assim, quando procuramos a nossa essência um dos caminhos mais aconselhados é identificar o que não somos. Quando tal acontecer, apenas sobrará o que verdadeiramente somos: o observador, a consciência...

Por outro lado, se o Ser não pode ser experienciado, não pode ser descrito: não tem forma, não está sujeito ao tempo nem ao espaço. Simplesmente é, simplesmente sou.

Partindo deste princípio, tudo o que identificamos como objeto de experiência é excluído do que somos. O mundo que nos rodeia, o nosso corpo, a nossa mente, o nosso ego (o nossos sentimentos, os nossos pensamentos, a nossa auto imagem), etc... Que longo caminho a percorrer.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D